Educação Corporativa deve ser provocada pela necessidade de obter resultados mensuráveis

Educação Corporativa deve ser provocada pela necessidade de obter resultados mensuráveis

Todo programa de Educação Corporativa precisa trazer uma solução ou oportunidade para a empresa, ser mensurável em resultado financeiro, transformar o comportamento do indivíduo e trazer conhecimento aplicável. É com essa frase que Vandyck Silveira, Presidente do Ibmec, defende que a Educação Corporativa deve ser, além de uma bonificação, um alimento educacional ao funcionário, um programa de valor real e mensurável para as organizações.

O executivo ministrou uma palestra rica nesse conceito durante o CONARH ABRH 2012 – 38º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas.

Aplicar um programa desse porte dentro de uma organização traz um benefício enorme ao crescimento profissional e intelectual do funcionário. Vandyck não nega isso, mas avalia o que de fato vai levar uma empresa a implantar um projeto de Educação Corporativa. Segundo ele, antes de tomar essa decisão, deve-se olhar para dentro da corporação e avaliar: o que isso vai trazer em benefício mensurável (financeiro) para a empresa? isso está de acordo com a estratégia? qual é a ambição da empresa em aplicar isso? e, completa, “mais importante do que gerar esse conhecimento é a forma como será usado em prol da corporação”.

CAPITAL HUMANO ALINHADO AO PLANO DE ESTRATÉGIA

“Muitas empresas acreditam que no plano de estratégia o capital humano vem a reboque. E não é assim”, explica Vandyck. Para resolver um problema, ou ativar uma oportunidade, um programa de Educação Corporativa deve trabalhar com três pontos em conjunto:

1-conhecimento cognitivo (universidade e escolas de negócios)
Conceito – “compartilhamento de ideias”.
Vandyck – “O mais comum é usar apenas esse pilar. Mas, sozinho, não traz o resultado que se espera”.
2-aplicação prática (empresa de consultoria)
Conceito – “faço para você, mas não te ensino”.
Vandyck – “Outro ponto que não funciona da maneira que é feito. Deve-se trabalhar COM você e não PARA você”.
3-comportamento (coaches, mentores e psicólogos)

Um exemplo de como pode ser feito o programa:

Workshops de alinhamento + 6 sessões de Coaching e 6 de Consultoria + Wrap up session (avaliação; planejamento do próximo desafio; resultados alcançados; e mensuração).

“Acredito que o Recursos Humanos precisa ser parceiro na geração de valor. Devemos pensar que a Educação Corporativa deve ser provocada pela necessidade de obter resultados mensuráveis. É uma solução que produza competência organizacional replicável”, conclui o executivo do Ibmec.

Outros executivos que também tocaram no tema:
“Somente as empresas com alma desenvolvem talentos” – Javier Fernández Aguado, diretor-geral do Mindvalue Group.
“Não utilizo a expressão ‘mão-de-obra’ porque o que eu preciso é o coração e a inteligência” – Jorge Gerdau Johannpeter, Presidente do Conselho de Administração da Gerdau.
“Educação não é social. É economia pura. Os países mais ricos são aqueles que também são primeiro em educação. A educação afeta todas as dimensões” – Marcos Magalhães, Presidente do Instituto de Co-Responsabilidade pela Educação.
“Para o SENAI, o compromisso é com a qualidade do capital humano” – Rafael Lucchesi, diretor-geral do SENAI.

Fonte: Blog da Saúde

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment