Clipping Victory
Vacinação ocupacional

Vacinação ocupacional

Prestar atenção à caderneta de vacinação dos funcionários pode ajudar a reduzir as faltas no trabalho (absenteísmo) e também o presenteísmo, que é quando o funcionário está fisicamente na empresa, mas não “rende”.

O termo “vacinação ocupacional” diz respeito à imunização dos trabalhadores, levando em consideração os riscos inerentes a cada atividade desempenhada. A ideia é promover os programas de saúde e, dentro desse contexto, contribuir para a qualidade de vida no ambiente corporativo, destaca Isabella Ballalai, diretora médica da Rede Vaccini.

Em entrevista ao Blog da Saúde, a médica fala da relevância em levar esse assunto para sua empresa. Confira:

Blog da Saúde – Hoje, como a Dra. avalia a preocupação das empresas com relação à imunização de seus colaboradores? As empresas investem em programas de saúde ou a adesão ainda é baixa?

Isabella Ballalai – Muitas empresas, em todo o país, já perceberam que a prevenção é um ótimo investimento, porque além de se evitar o adoecimento, há um ganho de qualidade de vida e também na percepção de valorização por parte dos colaboradores. Isso significa que muitas empresas já estão incluindo a vacinação em seus pacotes de benefícios. As ações mais frequentes dizem respeito à prevenção da gripe, mas algumas empresas já estão ampliando seus programas de imunização, inclusive com vacinas como a do HPV, para mulheres e homens. Como ocorre em qualquer programa de saúde e qualidade de vida, conquistar a adesão do colaborador é ponto crucial para o sucesso das ações. Por isso, a Vaccini oferece suporte tanto na organização das campanhas, como na divulgação, o que inclui até mesmo palestras.

Blog da Saúde – Qual é a relevância da vacinação dos funcionários?

Isabella Ballalai – A vacinação é fundamental para a prevenção de doenças imunopreveníveis. Um programa de imunização eficiente ajuda a reduzir sensivelmente os índices de absenteísmo (ausência por motivo de doença) e presenteísmo (quando o funcionário está presente fisicamente, mas seu rendimento é baixo porque ele se sente mal). A vacinação é uma das medidas mais importantes na promoção da saúde dentro do ambiente corporativo.

Blog da Saúde – Como as empresas poderiam abordar esse tema com seus funcionários? Seria por pesquisa de vacinação?

Isabella Ballalai – A Rede Vaccini atua em parceria com empresas de todo o Brasil. Os programas de imunização não se restringem à aplicação das vacinas em todos os colaboradores. Para ser eficiente, o programa precisa definir primeiramente quais vacinas serão indicadas, uma vez que algumas funções implicam maior risco para algumas doenças infectocontagiosas. Além disso, é preciso avaliar as condições epidemiológicas da cidade/região onde a empresa possui uma unidade de negócio. Uma determinada vacina pode ser indicada para os trabalhadores da filial de Minas Gerais e não ser para os que atuam no Rio Grande do Sul, por exemplo.

Blog da Saúde – Há diversos tipos de trabalho. Existe a ideia de doenças por tipo/estilo de trabalho?

Isabella Ballalai – Sim e essa ideia é central ao traçarmos o programa de imunização de uma empresa. A análise dos riscos inerentes a cada cargo é essencial. Profissionais da área da saúde, como os médicos e enfermeiros, devem receber algumas vacinas específicas; já as pessoas que lidam com animais, como os veterinários, têm outras indicações, assim como os trabalhadores na indústria de alimentação e turismo, por exemplo. Cada função apresenta seus riscos. Além disso, é necessário avaliar outros fatores referentes à rotina do profissional. Por exemplo, colaboradores que viajam a trabalho para o exterior ou que se locomovem por vários estados do nosso território também estão mais expostos a determinadas doenças infectocontagiosas e devem ser imunizados.

Blog da Saúde – Seria possível mapear – ou identificar – as enfermidades mais comuns, que fazem o trabalhador faltar e as principais vacinas que devem ser aplicadas? Como isso é feito?

Isabella Ballalai – Sim. É possível. Mas isso vai depender da atividade profissional exercida. Pesquisas internacionais indicam que o prejuízo decorrente do absenteísmo (falta ao trabalho) ou de internações de funcionários contaminados pelo vírus da gripe chega à ordem de 3,5 bilhões de dólares anuais. E a gripe é uma vacina recomendada para todo e qualquer trabalhador, independentemente da sua área de atuação. Ainda é preciso lembrar que algumas doenças podem afastar a pessoa por semanas, e até meses, o que é muito prejudicial para a empresa.

A campanha de imunização coordenada pela Vaccini completa o programa de saúde das empresas. Além disso, a Vaccini também oferece convênios para a vacinação de dependentes dos colaboradores, o que também é visto como promoção do bem-estar de toda a família. Vale lembrar que a vacinação dos dependentes também é atrativa financeiramente para a empresa, uma vez que o funcionário não terá que faltar para cuidar de um filho doente, por exemplo.

Fonte: Blog da Saúde

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment