Ética: uma arte da convivência para a sociedade!

Ética: uma arte da convivência para a sociedade!

O Brasil vivencia um momento em que a palavra Ética parece fervilhar na boca das pessoas. Mas se pararmos para pensar sobre este assunto com mais calma, essa é uma questão que não deve apenas permear apenas as esferas governamentais. Afinal, o ser humano vive em sociedade e como tal precisa conviver com regras e conceitos que devem dar, pelo menos em sua essência, um significado diferenciado que garanta a todos – independentemente da ideologia adotada por cada um – o direito a uma vida digna. E quando falamos em ética, também devemos levar essa questão para as esferas as organizações aonde cada trabalhador atua e se faz presente para contribuir com uma entrega que faça diferencial ao negócio e a ele, enquanto indivíduo, pois quando isso acontece, o colaborador entra em processo de desenvolvimento. Para falar sobre Ética, o RH.com.br entrevistou Francisco Gomes de Matos, administrador e consultor que acaba de lançar a 3ª edição do livro “Ética na Gestão Empresarial”, sua 39ª obra. Conselheiro da PUC-Rio, Francisco Gomes de Matos ganhou o Prêmio Jabuti, é membro da Ordem Nacional do Mérito do Trabalho, recebeu a Medalha Tiradentes e o Título de Cidadania do RJ, primeiro condecorado a receber o Prêmio Belmiro Siqueira.
“A ética significa condição natural para que haja integração, coesão e foco em resultados mutuamente compensadores”, defende. Durante entrevista concedida ao RH.com.br, o consultor fala, ainda, sobre a importância da área de Recursos Humanos para fortalecer a ética no ambiente corporativo. Tenha uma agradável leitura e aproveite a oportunidade para refletir sobre o assunto!
RH.com.br – Neste período que o Brasil atravessa, a ética tem sido um amplo assunto dos noticiários e entre os próprios brasileiros que se unem para conversar sobre o que é ou não aético. Uma pergunta surge: “A ética é administrável”?
Francisco Gomes de Matos – Primeiramente, não há opção, pois se trata de um bem essencial. Só há razoável vida social com ética. O ser humano é uma realidade em relação – vive ao conviver. A solidão, sem a ética relacional, não tem vida. A ética realiza-se no “Outro”, no bem comum. Portanto, ou somos capazes de administrar, com ética, ou nos corrompemos. A esquizofrenização social gera o aventureiro predador e todas as formas de poder opressivo. Definimos a ética como ciência do bem e arte da convivência.

RH – No campo corporativo, a ética também se torna administrável?
Francisco Gomes de Matos – Principalmente, a empresa é um grande espaço de aplicação ética, pois é onde se exercita, com força, o espírito empreendedor, que é competitivo. Sem a Ética da Cooperação a competição torna-se destrutiva, falta alma, a atitude de liderança, e a prática do consenso, relacionado às verdades e vontades comuns. Ética significa condição natural para que haja integração, coesão e foco em resultados mutuamente compensadores.

RH – A parir de que ponto nasce a ética organizacional – da alta direção ou ela também pode ocorrer através de um processo inverso “dos liderados para os líderes”?
Francisco Gomes de Matos – A ética é oxigênio, impossível viver sem. Onde há equipe há necessariamente ética e é essa que dá consistência, validando a liderança.

RH – Em seu ponto de vista, a ética passou por uma evolução?
Francisco Gomes de Matos – A ética evolui como tudo que está vivo. O nível de maturidade cultural torna progressivamente conscientes e exigentes os cidadãos. O meio corporativo evolui com a conscientização ética das lideranças que promove a integração. O maior atentado à ética corporativa é a desintegração dos líderes ao gerarem feudos, ilhas conflitantes. Cada departamento “uma empresa”, competindo pelo poder. Ética Corporativa são lideranças integradas pelo “bem coletivo”.

RH – De que forma a ética organizacional costuma manifestar-se no dia a dia das empresas?
Francisco Gomes de Matos – Pela atitude da liderança, que forma a Cultura de Liderança, contrapondo-se à cultura de mediocridade que se vai formando pela burocratização do pensamento nas organizações. Prevalecem processos e comportamentos padronizados eficientes, pelos quais se avaliam desempenhos. A ética empresarial manifesta-se pela liderança em trabalhar equipes integradas e inovadoras.

RH – Quais são os primeiros sinais que indicam que a ética corporativa é abalada?
Francisco Gomes de Matos – O estilo autoritário de cobrança por resultados imediatistas, que minam a motivação e o sentido de pertencimento. Outro fator é o poder pelo dinheiro, que é desestruturante. É estímulo passageiro, como a ciência social já demonstrou, não gera motivação permanente, mas é o que se pratica frequentemente no mercado e na empresa. Santo Agostinho definia o dinheiro como ótimo escravo, mas péssimo senhor. Há um fator terrível que abala a ética corporativa, que mata e inibe à vida, mas que continua impune: a burocracia, que emburrece e estimula a corrupção.

RH – Que ações práticas contribuem para que a ética seja fortalecida?
Francisco Gomes de Matos – Se disser “Educação” poderei estar dizendo tudo ou nada dizer. Depende de qual educação estamos falando. Equivocamente a educação é reduzida ao ensino, à escolaridade ou à alfabetização. Tudo bem, mas ensino, sem educação, conduz a sérios desvios. A educação tem a ver com motivação, vem de dentro do ser, implicam princípios, valores, arte de conviver. Seu objetivo é formar o cidadão. O ensino realiza-se por estímulos, vem de fora do ser, implicam conhecimentos, habilidades, capacitações. Seu objetivo é reforçar as condições educacionais para melhor adequar-se aos desafios da vida. A escola, ao se apoderar do ensino, sem privilegiar a educação, tende a formar tecnólogos, com visão estreita de mercado, exposto à competição, aos conflitos e aos desvios éticos. Repetimos, ética é viver em convivência e Ética Corporativa é, nas organizações, o esforço orgânico e sistemático em desenvolver líderes e consolidar equipes integradas. Significa investir, com inteligência e consistência na formação e desenvolvimento da Cultura de Liderança, através do perfil líder de líderes.

RH – A área de RH pode ser considerada um dos pilares para o fortalecimento da ética, no ambiente empresarial?
Francisco Gomes de Matos – O departamento de Recursos Humanos é referência organizacional ao desenvolvimento humano na empresa. Seu papel é inovador, na linha da educação. Caso se burocratize em procedimentos formais, meramente processualísticos, ou em escritórios de seleção e treinamento, torna-se imperdoável frustração. O que sobra? A quem recorrer?

RH – Que recado o senhor deixaria para quem tenta atropelar a ética, seja qual for a esfera da sociedade?
Francisco Gomes de Matos – A corrupção não compensa. Há um tribunal, superior a todos os outros: a Consciência Humana.

Fonte: Rh.com.br

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment