Está na hora de sair da crise!

Está na hora de sair da crise!

A crise aparece sem nos avisar e podemos sair dela sem avisá-la

O ser humano não gosta de ser pego de surpresa. E este é um dos primeiros fatores que incomodam na crise. Ela chega sem avisar, ou às vezes até nos dá pequenas dicas de que está chegando, mas céticos que somos, preferimos negar e fingir que tudo continua bem. Então, como vemos acontecer em diversos casos de pessoas que fazem treinamentos na Pandora – Evolução Consciente, somos “pegos de supetão”.

Nos vemos então praticamente obrigados a mudar nossos hábitos, conceitos, opiniões e nos adequar ao novo cenário, o que incomoda ainda mais. Quem resiste às mudanças, obviamente, sofre mais, se indigna, se irrita, mas de nada adianta, porque não temos controle sobre o que a vida nos reserva para que possamos evoluir de maneira consciente.

O melhor a se fazer em uma crise é ficar atento aos movimentos internos e externos. Nossas sensações, emoções, crenças, opiniões e entender onde estamos sendo rígidos. Os artistas marciais entendem muito disso: ser rígido significa fraqueza. Porque qualquer golpe pode lesionar. O mestre marcial sabe que tem de ser flexível, se adequar aos movimento externos. Ele não pode querer, ansiar, se tensionar, ficar com medo, receios ou indignado com os movimentos de seu adversário. Ele apenas se adéqua, observa e flui de acordo com o que é necessário para não perder a batalha. Na vida, é a mesma coisa. Temos de nos manter atentos e flexíveis aos movimentos. Desapegar de opiniões rígidas, querer que as coisas fossem como antes ou criar expectativas de como queremos que sejam no futuro.

“Crise em chinês é formado pela junção de dois ideogramas: Perigo + Oportunidade”

O não-sofrimento vem da não-resistência às mudanças. Entender que a realidade é outra. E ter discernimento para entender o que é possível mudar – e ter coragem para fazer – e o que não é possível mudar – e ter serenidade para aceitar. Reclamar só irá aumentar seu sofrimento e daqueles que estão ao seu redor. Muitas pessoas acham que a indignação ou irritação mudam as coisas, mas isso é uma falsa verdade. O que muda as coisas é a coragem. Coragem de se adaptar à nova realidade e agir de acordo com suas capacidades e recursos disponíveis. As grandes mudanças em nossa história ocorreram estrategicamente e racionalmente e não emocionalmente, advindas da irritação, raiva ou indignação. O desejo por estabilidade prejudica esse processo de percepção e adaptação racional.

Desta forma, podemos seguir pequenos cinco passos para encarar as crises e sairmos dela:

1. Respire – Ao encontrar uma crise, problema ou surpresa desagradável, não reaja de imediato. Primeiramente respire e preste atenção em sua respiração, porque é a única coisa que você precisa de fato fazer. Continuar respirando para manter a vida fluindo.

2. Observe – Ao invés de se atirar no meio do olho do furação, afaste-se das emoções destrutivas e confusas e observe, como se estivesse vendo de fora do problema. Abstraia as emoções e, racionalmente, entenda se há uma forma de mudar ou não aquele fato.

3. Adapte-se – Invoque a coragem para que a mudança venha a partir de você de uma maneira que não prejudique nenhum dos envolvidos, se for possível. Se a possibilidade de mudança externa não existir, convoque a serenidade necessária para que você possa se adaptar à nova realidade e aceitar o que a vida está te trazendo.

4. Aprenda – Independente do que acontecer, busque seu aprendizado com a situação. Tudo que conseguimos aprender e diminuir nossa rigidez, não precisaremos mais lidar no futuro, pois o aprendizado vem e volta de diversas formas até que aprendamos a lição por trás dele. Como em uma escola, se não aprendemos, é necessário repetir e passar de novo por aquele aprendizado. Se aprendemos, passamos de ano para uma nova série de aprendizados. E assim continua até o final de nossa vida.

5. Divirta-se – Só precisa ser penoso se você quiser. Você pode levar com leveza qualquer assunto. Divertir vem do latim divertere que significa “mudar de direção” e é disso que falamos até este exato momento.

Com esses cinco passos, que sempre são simples, mas nem sempre são fáceis, podemos buscar a saída de todas as crises. Lembrando que a mudança sempre começa de dentro para fora, e não o contrário. Algumas mudanças demoram mais para acontecer, outras menos. Vai depender de nosso nível de rigidez e apego. Ou seja, só depende de nós.

Fonte: rhportal

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment