Crenças Limitantes: você sabe o que é?

Crenças Limitantes: você sabe o que é?

Você sabia que por traz de todos os resultados de nossas vidas, seja financeiro, familiar, relacionamento etc. Tudo passa pelas crenças? Por que algumas pessoas realizam, conquistam e outras não? Acredite, não é sorte é crença!

As crenças limitantes são os modelos mentais que criamos com as experiências vividas e as coisas que aprendemos em alguma fase da nossa vida para nos proteger ou oferecer um limite em alguma situação. São frases que ouvimos quando criança, críticas que recebemos, conselhos protetores, informação generalistas. São experiências negativas que passamos e os escudos que criamos para não repetir aquele momento.

Tudo o que acreditamos foi útil naquele momento de nossa vida, para nos proteger ou orientar. Entretanto, quando passamos a usar essas crenças repetidamente e elas se tornam um hábito negativo ou fator de medo para realizar nossos objetivos, encontramos as crenças limitantes.

É importante entender que não percebemos de uma forma direta o mundo que nos cerca; tudo aquilo que chega até a janela de nossos sentidos (visão, audição, tato, paladar e olfato) passa por um processo de filtragem onde toda informação é interpretada. O processo de interpretação depende essencialmente de nossas crenças e valores; em outras palavras, vemos o mundo a partir da forma e coisas que acreditamos.

É muito fácil entender isso: eu vejo uma barata, por exemplo, que não passa de um pequeno inseto inofensivo; alguém que tem medo de baratas, no entanto, vai ver um ser perigoso que lhe produz imediatamente uma necessidade incontrolável de paralisar ou correr.

Uma crença limitante ocorre, normalmente, a partir de uma generalização de alguma experiência traumática (dolorosa); uma criança, por exemplo, resolve correr para brincar; enquanto está correndo ela tropeça em algo que estava no chão e cai. Essa experiência é interpretada pela mente; uma criança pode ser ensinada a analisar cada situação de sua vida como uma experiência única, e ela pode entender que caiu naquela ocasião porque não viu um objeto que estava no chão; daí ela pode extrair uma regra generalizante: preste atenção no trajeto quando estiver correndo. Ou então, o que é mais comum, ela pode partir diretamente para uma interpretação generalizada: eu corri e me machuquei; correr é perigoso, não é bom correr.

O que te limitar a realizar ou conquistar determinado objetivo hoje?

Fonte: rhportal

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment