Como aplicar a inteligência sistêmica na sua empresa?

Como aplicar a inteligência sistêmica na sua empresa?

Muitas vezes, mesmo após a realização de pesquisas e estudos, alguns gestores ainda se sentem inseguros antes de lançar um produto ou uma marca no mercado

Muita gente sabe que Constelação Familiar é uma técnica bastante usada no Brasil no meio jurídico, sobretudo em varas de família, nas mediações para partilha de bens e de guarda de filhos. Mas, o que poucos conhecem são as diversas aplicações dessa prática no ambiente corporativo, sejam empresas familiares ou não. A metodologia conhecida como Constelação Organizacional é uma excelente ferramenta para a resolução de conflitos e a tomada de decisões estratégicas, ao complementar as técnicas de gestão já utilizadas no ambiente empresarial.

Confira a seguir, algumas situações em que a Constelação Organizacional pode, e deve, ser aplicada!

Estudo e/ou lançamento de um produto ou uma marca – muitas vezes, mesmo após a realização de pesquisas e estudos, alguns gestores ainda se sentem inseguros antes de lançar um produto ou uma marca no mercado. É difícil saber se o momento é adequado, se o produto está realmente finalizado, se o nome será bem aceito, se o preço e o posicionamento adotados estão corretos, entre muitas outras questões. Dentro desse contexto, a Constelação Organizacional pode simular uma série de cenários, nos quais o cliente tem a oportunidade de vivenciar o produto lançado e, assim, encontrar as respostas que tanto procura.

Um estudo realizado pelo holandês Wim Jurg tratou pela primeira vez, de forma acadêmica, do uso de Constelações para marcas, o que chamou de Branding Constellation. Segundo a pesquisa, ao realizar a constelação o gestor tem acesso a uma visão que vai além da que o mercado já está acostumado a pensar em termos de relacionamento das marcas com as pessoas, podendo assim ter mais insights para resolver problemas relacionados à identidade da marca ou do produto.

Conflitos entre executivos ou seus times – no ambiente corporativo é comum acontecerem problemas de relacionamento e conflitos entre os membros da equipe. Contudo, uma das modalidades das Constelações Organizacionais, a chamada Constelação de Equipe Interna, pode contribuir diretamente para a melhoria dessa situação. A prática permite que cada indivíduo consiga perceber os diferentes pontos de vista que existem sobre o mesmo tema ao se colocar no lugar do outro, harmonizando drasticamente conflitos oriundos de diversas naturezas.

Simulação de cenários futuros – essa é outra necessidade recorrente no dia a dia de qualquer organização, principalmente, para simular cenários e entender como sua empresa, seus produtos, seus clientes e seus concorrentes irão se comportar no futuro, já que, por mais que se estudem as consequências de uma ação ou de uma hipótese, muitas vezes, a realidade surpreende, em geral, negativamente, com pontos que foram esquecidos na análise. Com a Constelação, os envolvidos podem enxergar possíveis cenários por diferentes ângulos e pontos de vista. Conseguem até mesmo ter a visão de elementos de fora da empresa, com clientes, concorrentes e fornecedores. E, além das questões próprias de marcas e produtos, também é possível visualizar cenários políticos e econômicos, a entrada de um novo player no mercado, a compra de uma outra empresa, a divisão de uma empresa em duas, a criação de uma filial, o fechamento de uma unidade de negócios, uma demissão em massa, entre muitas outras possibilidades. Trata-se de uma alternativa muito rica e que traz bastante segurança às tomadas de decisão.

Pesquisa de Mercado – pesquisas em geral são caras, demoradas e nem sempre muito assertivas, sobretudo se abordarem um tema mais complexo. Por isso, na Europa já se tornou uma prática trocar os processos de pesquisa de mercado pelas Constelações Organizacionais. Isso porque o resultado é mais rápido, mais barato e mais assertivo.

Comunicação – assim como os conflitos, a comunicação ineficiente está presente na maioria das organizações. Os motivos variam e essa falha pode estar relacionada a diversos fatores, desde a linguagem propriamente dita até questões emocionais, preconceito, rusgas ou mesmo problemas de relacionamento não resolvido. Com a Constelação é possível identificar os verdadeiros originadores dessa má comunicação. E, quando as partes olham para essas fontes do problema e acolhem a questão, na maioria das vezes, o problema se dissipa.

Sucessão – essa é uma questão extremamente complexa que envolve a grande maioria das empresas familiares. Às vezes, filhos são colocados forçosamente em uma posição que não desejam ou para a qual não estão preparados; ou ainda, estando preparados, acabam por desarmonizar um ambiente que era estável. Nesses casos, a Constelação Organizacional ajuda tanto o patriarca, como o sucessor, a enxergarem elementos que, normalmente, estão obscuros, tornando a transição mais fácil ou, ao menos, tranquilizando as partes a deixarem de fazê-la quando não tiver sentido.

Dissolução societária – de forma bastante semelhante ao que acontece em uma separação conjugal, a briga pela guarda dos filhos e a partilha de bens também tem seu paralelo no mundo corporativo, sobretudo, em pequenas e médias empresas, nas quais não há nenhuma métrica para valoração da empresa. Chegar a um consenso sobre qual o valor da empresa e o que compete a cada sócio é uma tarefa bastante árdua e que, muitas vezes, gera anos de brigas jurídicas. Porém, após uma Constelação, ou algumas, cada uma das partes conseguirá ter mais clareza sobre o olhar do outro e um acordo consensual tende a ser mais fácil e suave de ser conseguido.

Recrutamento e seleção – Geralmente, os processos seletivos acabam saindo bem caros para as empresas, ainda mais se tratando de uma vaga sênior, quando o processo é mais complexo e delicado. Análise de currículos, testes, entrevistas, fazer uma seleção nunca é fácil. A situação se agrava quando o resultado acaba não sendo tão assertivo. E, é justamente nesse contexto, que as constelações podem ajudar. Na reta final dos processos, a decisão está nos detalhes. Dentre os candidatos finalistas, é preciso avaliar quem poderá se adaptar melhor à cultura da empresa, terá o melhor relacionamento com a equipe, clientes e fornecedores, como será a receptividade dos outros colaboradores em relação ao novo membro, entre outras. Em uma Constelação Organizacional para Processo Seletivo, é possível simular os diferentes cenários, experimentar a sensação da empresa com cada um dos finalistas e, assim, obter mais insights e segurança em direção a uma escolha, de fato, assertiva.

Essas são apenas algumas formas de aplicação das Constelações Organizacionais no ambiente corporativo. Em geral, elas são grandes aliadas desse meio ao proporcionarem um diagnóstico holístico e eficaz sobre a empresa, contribuírem com a tomada de decisão, simularem cenários futuros, iluminarem problemas complexos e ainda captarem um ponto de vista coletivo ou de uma carga emocional. Trata-se de uma prática muito recomendada a quem busca clareza e assertividade na gestão de um negócio. Se esse for o seu caso, busque organizações que possam aplicar a metodologia com qualidade e responsabilidade, pois só assim poderá, de fato potencializar seus resultados corporativos.

Fonte: administradores

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment