O compartilhamento de dados é uma barreira no contato digital no contato médico paciente?

O compartilhamento de dados é uma barreira no contato digital no contato médico paciente?

Os pacientes e os médicos estão prontos para se envolver uns com os outros usando ferramentas digitais, de acordo com uma nova pesquisa da Ernst & Young divulgada na HIMSS18.

A pesquisa descobriu que 54% dos consumidores disseram que estão confortáveis para entrar em contato digital com o médico e expressaram seu interesse em usar a tecnologia, como testes de diagnóstico em casa (36%), uso de celular ou dispositivo conectado para compartilhamento de informações (33%) e telemedicina (21%).

Existe um acordo generalizado entre os médicos de que as tecnologias digitais e o compartilhamento de dados contribuirão efetivamente para o bem-estar geral da população, verificou a pesquisa. E 83% dos médicos acreditam que o aumento dos dados gerados pelo paciente de dispositivos conectados beneficiaria a qualidade geral dos cuidados e possibilitaria planos de cuidados mais personalizados.

Além disso, 66% dos médicos disseram que o aumento do uso de tecnologias digitais reduziria a carga sobre o sistema de saúde e seus custos associados, e 64% pensam que isso ajudaria a reduzir o estresse para médicos

“O setor da saúde está hoje maduro para a disrupção e essas descobertas reforçam a necessidade das organizações repensarem como e onde os cuidados são entregues aos consumidores”, disse Jacques Mulder, líder de saúde dos EUA em Ernst & Young. “Tanto os consumidores como os médicos estão habilitados pelas tecnologias emergentes e estão com fome de experiências melhores e mais conectadas. Essa demanda abre caminho para que os players não tradicionais possam ter um impacto na indústria e é outro indicador da era de conversão da saúde”.

A criação de incentivos para o compartilhamento de dados é uma peça crítica do quebra-cabeça, descobriu a pesquisa. Enquanto apenas 26% dos consumidores estão interessados em compartilhar informações de estilo de vida com seu médico, esses números têm um grande salto quando são adicionados incentivos. Os consumidores disseram que tempos de espera reduzidos (6%) e economia de custos (55%) proporcionaram os maiores incentivos para aumentar o envolvimento digital com seus médicos.

Além disso, apesar da hesitação em compartilhar informações sobre dieta e exercícios, 26% dos consumidores indicaram que a capacidade de receber planos personalizados e planos de exercícios também incentivaria o engajamento com a tecnologia digital, verificou a pesquisa.

“O que vemos a partir desses resultados é que os consumidores e os médicos estão prontos para uma maior interação digital”, disse Rachel Hall, diretora e conselheira em saúde digital na Ernst & Young. “Se você olha para o setor de saúde hoje, vemos muitas soluções específicas projetadas para abordar um aspecto particular da saúde ou do bem-estar. Embora este seja um ótimo começo, o que nos falta são soluções para apoiar a saúde e o gerenciamento de doenças em um nível mais amplo “.

Para encontrar o sucesso nesta situação, a indústria precisa de mais dados interoperáveis que sejam agnósticos de fontes, ferramentas analíticas adequadas e um foco em projetos centrados no consumidor, ela acrescentou.

A parcela de respondentes foi composta de 2.455 consumidores dos EUA com 18 anos ou mais e 347 médicos em todo o país.

Fonte: saudebusiness

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment