Clipping Victory
A melhor maneira de desenvolver sua Inteligência Emocional

A melhor maneira de desenvolver sua Inteligência Emocional

Gostaria de começar com uma história adaptada a partir de uma situação real.

Imagine um líder com problemas.

Oren tinha sucesso nas vendas e foi promovido à gerência de vendas regionais na indústria de investimentos. Mas, apesar de se destacar como vendedor, ele era vacilante enquanto líder. Sua equipe passou a não cumprir as metas de vendas e havia tensão no ar.

O diagnóstico da inteligência emocional de Oren: fraqueza mortal no gerenciamento de conflitos e dissensões — ele evitava toda e qualquer discussão ou conversa contenciosa. Além da sua postura evasiva, ele tinha um ponto cego para esse problema. Ele também carecia de autoconsciência, o que significa que ele não apenas era incapaz de enxergar o quanto sua aversão ao conflito o prejudicava, mas também ficava perplexo com sua própria falha, cego para as causas.

Ele leu algo sobre Inteligência Emocional e foi a um seminário sobre o assunto, o que o melhorou seu entendimento intelectual sobre autoconsciência e gestão de conflitos. Mas ele não conseguia conectar esse entendimento à maneira como ele gerenciava sua equipe — e os mesmos problemas continuaram.

O coaching ajuda a desenvolver autoconsciência

Então, a companhia de Oren sugeriu que ele começasse a fazer sessões de coaching. Por seus meses, Oren e seu coach focaram na sua melhoria. Começaram com uma avaliação 360º, o que deixou claro que Oren precisava de autoconsciência e era fraco no gerenciamento de conflitos.

O coach pediu para que Oren escrevesse em um diário, durante seis meses, os principais momentos do seu dia, especialmente quando ele precisava gerenciar discussões. Ele e seu coach representaram maneiras de intervir para resolver conflitos de formas mutuamente benéficas. Seu coach o observou em ação durante situações reais e deu feedback em seguida.

Lentamente, Oren se tornou menos ansioso e evasivo face aos conflitos, além de mais interessado em ajudar sua equipe a encontrar soluções onde os dois lados vencem. O monitoramento de suas ações para escrever no diário estimulou sua autoconsciência.

Quando Oren fez outra avaliação 360º, o feedback das pessoas com quem ele trabalhava todos os dias confirmou que ele tinha melhorado tanto sua autoconsciência quanto suas habilidades na gestão de conflitos. Um benefício indireto: a moral do time, a motivação e as vendas aumentaram.

Uma abordagem integrada para desenvolver a IE

Existem vários programas de Inteligência Emocional atualmente; o campo cresceu e se tornou uma mini-indústria. A grande questão: qual a melhor maneira para desenvolver competências de IE?

Eu não sou um entusiasta dos programas que se baseiam apenas em informação (e até mesmo de palestras que eu dou sobre IE) como forma de cultivar essas competências. Esses programas — assim como minhas palestras — podem ser motivacionais e melhorarem sua mentalidade. É um começo.

Mas se você quiser melhorar de verdade, precisa de ajuda. Eu tenho dúvidas sobre programas de IE industrializados, que tratam todas as pessoas como se fossem uma só. Nós todos temos um perfil pessoal único em competências de IE, mais forte em alguns e mais fraco em outros. Programas industrializados não são centrados no que poderia realmente ajudar uma pessoa.

No mundo do RH, esses programas são chamados de “borrife e reze” — você borrifa as pessoas durante um fim de semana com IE e reza para que funcione. Não funciona.

Descobri que a melhor abordagem se ajusta às necessidades específicas de cada pessoa. Nós todos temos nossos próprios objetivos, motivos e o que nos incentiva — coisas pelas quais temos paixão e amamos fazer. Portanto, aproveitar essa energia alinhada com o seu senso de propósito faz com que o treinamento de IE tenha aproveitamento máximo.

Para tudo isso, trabalhar com um coach terá o maior impacto. Há várias razões pelas quais o coaching ajuda a instalar melhorias duradouras das competências de Inteligência Emocional (e um obrigado a Michele Nevarez, a coach que lidera meus próprios programas de Inteligência Emocional, pelos pontos seguintes):

1. Não sabemos o que não sabemos. Um coach nos ajuda a enxergar o que não é aparente para nós e pode também ajudar a aprender práticas para nos tornarmos autoconscientes, tais como perceber gatilhos e emoções ao longo das nossas interações cotidianas.

2. Um coach pode nos lembrar de continuar a aplicar e experimentar novos modelos mentais emaneiras de agir que estão fora dos nossos padrões habituais. Podemos expandir nosso repertório.

3. Um coach pode nos ajudar a perceber quando nossas mentalidades e ações não estão alinhadas com nossas aspirações — e como nossos pensamentos e crenças podem atrapalhar nossas execuções rumo aos objetivos.

4. Você pode ter o melhor plano de desenvolvimento do mundo que você entende com grande clareza mental, mas se suas crenças ou hábitos descolam das táticas e planos traçados, então você permanece preso. Um coach pode mostrar como se livrar de hábitos que não trazem benefícios.

5. Em dias de grande pressão quando você volta aos velhos hábitos — que você está tentando mudar — um coach pode garantir que você não desista. Ao invés disso, você pode usar a falha para se preparar mentalmente para acertar da próxima vez.

6. Um coach pode nos ajudar a levar as competências de que precisamos para alcançar o sucesso do reino das boas ideias para aplicações práticas voltadas para aplicações práticas focadas nos nossos objetivos e aspirações.


O artigo foi publicado no blog do autor e cedido gentilmente ao Administradores.com.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Fonte: Site Administradores

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment