12 estratégias cientificamente comprovadas para se concentrar melhor

12 estratégias cientificamente comprovadas para se concentrar melhor

A capacidade de permanecer focado em um projeto é uma qualidade almejada por qualquer pessoa

  • Uma concentração elevada é a chave para manter a produtividade e acabar de vez com a procrastinação.
  • Com tantas opções, parece impossível não se deixar levar por um minutinho de folga.
  • Diversas técnicas comprovadas por estudos e pesquisas ajudam a treinar o cérebro para manter o foco por mais tempo.

No entanto, com rotinas cada vez mais atribuladas e dependentes da tecnologia, é incontável o número de distrações a que estamos continuamente expostos. Notificações das redes sociais, chamadas, mensagens, um alerta sobre um vídeo novo que foi lançado no seu canal favorito — tudo isso competindo com o barulho de fundo da TV.

Com tantas opções, parece impossível não se deixar levar por um minutinho de folga. O problema é que esse minuto quase sempre se estende e quando você percebe o dia está acabando sem que suas atividades tenham sido cumpridas.

Felizmente, a ciência pode ajudar nesse caso: diversas técnicas comprovadas por estudos e pesquisas ajudam a treinar o cérebro para manter o foco por mais tempo. Está interessado? Continue lendo e conheça as mais eficientes dicas de concentração!

1. Usar a metacognição

A metacognição é o conhecimento e o controle dos nossos próprios processos cognitivos. Basicamente, somos capazes de “pensar sobre nossos pensamentos”, avaliá-los e buscar meios de controlá-los.

Entender aspectos como o funcionamento da sua atenção, as distrações que mais afetam você e o momento em que você começa a se cansar é fundamental para gerenciar seus recursos mentais e até mesmo definir o melhor período para estudar.

2. Fazer pausas periódicas

Um estudo realizado na Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, concluiu que ambientes naturais, como parques e praças, possuem alto poder de redução da fadiga. Portanto, ao se sentir cansado e irritado com o projeto em que está trabalhando, saia para dar uma volta.

Você também pode fazer uma pausa breve para ver um vídeo, conversar com um amigo ou mesmo só relaxar, sem fazer nada — o importante é não tentar ir além do seu limite. Momentos breves de descanso são fundamentais para recarregar as energias.

3. Treinar o cérebro

Cada vez mais pesquisas comprovam que é possível treinar nossa capacidade mental. Isso acontece porque o treinamento promove mudanças na conexão das estruturas da rede frontoparietal do cérebro, onde acontece o processamento da atenção.

Exercícios de raciocínio lógico, palavras-cruzadas e charadas são alguns exemplos de ferramentas simples que podem ajudá-lo a manter a atividade cerebral em alta.

4. Manter o ambiente organizado

Eliminar as distrações presentes no ambiente onde você estuda vai ajudar muito na sua concentração. Verifique se você está livre da televisão, de músicas ou mesmo de seus familiares e amigos conversando. Essas coisas atraem sua atenção, desviando seu foco e impedindo-o de se dedicar ao que realmente precisa.

Outro fator importante é o conforto. Certifique-se de que você não está com frio ou quente demais, que a sua cadeira ajuda na sua postura e que a quantidade de luz é adequada.

5. Praticar meditação

Um artigo publicado na revista científica PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America) afirma que treinar a meditação por 20 minutos diários, durante cinco dias, é o suficiente para melhorar o rendimento em testes de atenção. Além disso, a prática também ajuda a reduzir a ansiedade e a fadiga.

6. Gerar gatilhos mentais

De acordo com o cientista russo Ivan Pavlov, famoso na psicologia, alguns estímulos, quando bem treinados, são capazes de gerar reações imediatas em nós. Se você percebe que se distrai facilmente com pensamentos aleatórios, tente estabelecer uma frase de orientação que faça você voltar para aquilo que realmente importa. Você pode definir seu próprio método ou escolher frases mais óbvias.

Opções como “concentre-se”, “volte aos estudos” e “foco” poderão ajudá-lo a levar o pensamento para os rumos corretos. Também é possível usar músicas ou alarmes no celular. Com o tempo, essas atitudes se tornam hábitos, e o simples ato de pensar na palavra certa vira um gatilho para restabelecer seu foco.

7. Jogar videogame

Um estudo da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, publicado na revista Nature, aponta que as pessoas que jogam games de ação melhoram sua atenção visual seletiva, além de serem mais capazes de atender rapidamente a estímulos. Essa pode ser uma ótima opção para se distrair enquanto estimula sua cognição.

8. Mudar a rotina

Isso vai impedi-lo de se sentir entediado com as mesmas tarefas diariamente. Estabeleça um cronograma que alterne materiais e tarefas por grau de dificuldade ou tipo de estratégia estabelecida para a prática. Variar o modo como o conteúdo é visto manterá você motivado e evitará o tédio.

Outro ponto que pode ajudar bastante é mudar o local de estudos. Se você geralmente fica no seu quarto, vale tentar alguns lugares diferentes de vez em quando: leia um livro na praça ou no parque, faça atividades na biblioteca da escola ou da cidade, ou até mesmo mude sua mesa de estudos de posição — o importante é criar situações novas para manter o corpo em alerta.

9. Controlar a ansiedade

É comum ter tantas tarefas a ponto de sentir dificuldades para priorizar. Essa situação traz pensamentos negativos, estresse e preocupações desnecessárias, que acabam atrapalhando seu desempenho.

Use agendas e cronogramas para organizar suas atividades e controlar a ansiedade. Faça listas organizadas por ordem de prioridade e estabeleça um tempo para cada tarefa, assim você evita pensar em tudo ao mesmo tempo. Além disso, é uma ótima sensação poder riscar um compromisso da agenda logo depois de cumpri-lo.

10. Praticar exercícios físicos

Estudos publicados na revista Experimental Educational Psychology apontam que o exercício físico pode melhorar consideravelmente o rendimento cognitivo. Segundo a pesquisa, o exercício aeróbico breve (até 12 minutos), por exemplo, melhora a capacidade de atenção seletiva em crianças.

Tire um tempo do seu dia para caminhar, correr, ir à academia ou praticar algum esporte que o interesse. Se não puder se exercitar todos os dias, tente encaixar as atividades na rotina ao menos três vezes na semana. Manter o corpo saudável ajuda a equilibrar a mente, diminuir o stress e controlar a ansiedade — além de proporcionar ótimas noites de sono.

11. Tornar o assunto mais interessante

É fato que sempre vai existir algum assunto sobre o qual não temos a mínima vontade de estudar, mas sabemos que não pode ser dispensado. Quando você não se interessa pela atividade, manter a concentração é praticamente impossível — uma mosca passando na sua frente será muito mais atraente.

Para solucionar esse problema, tente deixar o assunto mais dinâmico: veja filmes, leia livros de ficção que abordam o tema, procure um bom documentário, peça ajuda de amigos. Vale tudo para deixar o tema mais atraente.

12. Cuidar da saúde

Nossa disposição física também reflete (e muito) na nossa capacidade de concentração. Se você passar noites sem dormir bem, não há café que possa ajudá-lo a manter o foco. O ideal para um adulto é dormir, no mínimo, 8 horas por dia.

Outro ponto importante é a alimentação. Você precisará de alimentos que forneçam energia, mas que não sejam pesados demais, para não causar aquela sensação de desconforto e sono. Mantenha uma alimentação saudável, coma de três em três horas e beba muita água!

Seguindo essas dicas de concentração, manter o foco certamente será muito mais fácil. Além de ser mais produtivo, você conseguirá aprender melhor e ter resultados muito mais satisfatórios.

Fonte: Universia

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment