A rápida e incontrolável disseminação do novo Coronavírus (SARS-CoV-2) pelo mundo aliada à sua gravidade fez com que a Organização Mundial da Saúde (OMS) caracterizasse a situação como pandemia. Diante da orientação para que as pessoas fiquem em casa, é fundamental que sejam incentivadas e posteriormente ampliadas as ações para a adoção-manutenção de uma rotina de vida fisicamente ativa. O estilo de vida sedentário é prejudicial para o nosso sistema imune, fundamental para reduzir a possibilidade de infecção viral. Além disto, o fato de ficarmos “parados” e muitas vezes nos alimentando inadequadamente favorece o ganho de peso, o aumento da pressão arterial, da glicose (açúcar) e lipídeos (gorduras) no sangue, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares e metabólicas, como a hipertensão e o diabetes, os quais têm sido associados a pior prognóstico em pacientes idosos acometidos pela COVID-19.

As recomendações da OMS para indivíduos saudáveis e assintomáticos são de no mínimo 150 minutos de atividade física por semana para adultos e 300 minutos de atividade física por semana para crianças e adolescentes. Esse tempo de atividade física deve ser acumulado durante os dias da semana, podendo ser dividido de acordo com sua rotina.

É importante esclarecer que a prática de ‘atividade física’ compreende qualquer atividade motora que resulte em um gasto energético acima dos níveis de repouso, ao passo que a prática sistematizada, devidamente elaborada e prescrita considerando variáveis de treinamento visando objetivos específicos é denominada ‘exercício físico’. Dessa forma, enfatizamos que ambas atitudes são de fundamental importância para esse período de isolamento social. Neste sentido, recomenda-se fortemente um estilo de vida fisicamente ativo em ambiente domiciliar durante essa pandemia.

Abaixo são listadas algumas atitudes e comportamentos que podem ser empregadas em ambiente domiciliar:

Mantenha-se ativo, seja realizando atividades físicas ou exercícios físicos;

  • Opte por praticar atividades físicas em sua casa ao invés de sair para espaços compartilhados (como academias, clubes de ginástica coletiva, etc);

  • As atividades de vida diária são excelentes alternativas para manter uma rotina fisicamente ativa. Varrer a casa, passar pano no chão, arrumar o jardim, horta ou quintal, lavar louça, arrumar armários, pequenas reformas, mudar a posição dos móveis, subir e descer escadas, brincar com animais de estimação são algumas das inúmeras atividades físicas que deverão ser incentivadas e praticadas. Dance! Esta é uma excelente atividade física! Explore o ambiente residencial para manter-se ativo (jardim, garagem, escadas e rampas, etc);

  • Na ausência de acessórios para execução de exercícios físicos resistidos (de força), utilize o peso corporal ou adapte utensílios diversos (por exemplo, garrafas pet para simular halteres, almofadas ou elásticos podem ser usados para oferecer resistência aos movimentos);

  • Reserve momentos para alongamento e relaxamento. Isso poderá ajudar no combate ao estresse e ansiedade decorrente do isolamento domiciliar;

  • Evite permanecer por longos períodos sentando, deitado, ou utilizando dispositivos eletrônicos. Busque intercalar momentos de inatividade física com momentos fisicamente ativos (por exemplo, a cada 15-30 minutos parado, realize 15 minutos de atividade física; movimente as pernas e braços enquanto estiver sentado ou deitado; assista TV em pé por alguns minutos);

  • Reforce a atenção para que seus filhos não tenham comportamento sedentário. Tire as crianças e adolescentes do sofá e da frente das telas e convide-as para brincar e se exercitar. Integre seus filhos nas atividades domésticas cotidianas de sua casa. Brinque e se divirta com seus filhos. Ensine a eles brincadeiras que movimentam o corpo (amarelinha, pular corda, pique-esconde, circuitos de atividades com garrafas pet, jogos com pagamento de prenda, bambolê, batata quente, corrida de saco, dança das cadeiras, bobinho, cabo de guerra, cabra-cega, corrida da vassoura, corrida do ovo na colher, entre outros);

    Lembre-se! As evidências são claras! O sedentarismo tem impacto negativo sobre sua saúde, portanto, apesar de não sair de casa, é fundamental que todos realizem atividade física no ambiente domiciliar. Busque que as atividades físicas sejam integradas ao seu novo cotidiano e que sejam prazerosas! Tais medidas serão essenciais e de grande contribuição para a sua saúde física e mental, auxiliando na prevenção ao COVID-19 e de suas consequências.

    Fonte: portal.cardiol.br

Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment